Já parou para pensar que você pode estar viciada em celular? Esse vício é mais comum do que imaginamos e pode trazer consequências terríveis para nosso cotidiano e também para a auto-estima.

Estudos apontam que checamos nosso celular, em média, 400 vezes ao dia. Esse número assusta, né? Apesar de não ser considerado uma doença, esse tipo de vício pode desencadear problemas no trabalho e nos relacionamentos pessoais. Além disso, sabemos que as redes sociais exercem efeito negativo na saúde mental.

Quais são os sintomas do vício em celular?

Será que você está viciada em celular?

Imagem via: GETTY IMAGES via BBC Brasil

Nomofobia é o nome usado para descrever a dependência crônica ao celular. Esse termo veio do inglês “no mobile phone fobia" que significa algo como "medo de ficar sem o celular". Se você se identifica com essa frase, é possível que esteja viciada em celular.

A fissura é o primeiro sintoma, seguido da inquietação. Se, por exemplo, você recorre ao celular sempre que se sente triste ou, pior, fica desconfortável em ambientes sociais se não está com o aparelho em mãos, é hora de ligar o alerta.

Além desses sintomas, aquela checadinha nas redes antes de dormir, no meio da noite e logo pela manhã (antes mesmo de levantar) também podem ser preocupantes. Na sequência, o vício começa a prejudicar as relações pessoais.

Sabe aquela pessoa que não consegue conversar com os amigos sem checar as notificações? Até mesmo os casais sofrem, já que o aparelho sempre à mão atrapalha os momentos a dois e ainda gera discussões.

LEIA TAMBÉM:
Gordofobia no Trabalho
Autoestima em alta - Plus Size
Looks de trabalho plus size: você sabe combinar sem medo?
Moda plus size é tendência: grifes internacionais apostam no mercado

Sou viciada em celular, e agora?

Imagem: Já Mudei

O primeiro passo é admitir o vício. Depois, vale procurar ajuda. Nos casos mais severos, vale a pena procurar um especialista comportamental, pois o smartphone pode estar sendo usado para encobrir outros problemas.

Se o seu caso for mais leve, saiba que as dicas abaixo podem ajudar a minimizar e até mesmo aniquilar o problema:

6 dicas infalíveis para superar o vício em celular:

Imagem: R7

1. Carregue  o aparelho fora do quarto

Essa dica é certeira para acabar com a ansiedade e as checadinhas noturnas nas redes sociais. Opte por carregar o telefone fora do quarto ou, então, bem longe da cama (de modo que você precise levantar e andar para alcançá-lo). Para ajudar, compre um relógio simples e use-o como despertador.

Assim você evita pegar o aparelho em mãos. Alguns aparelhos possuem o recurso "não perturbe", que deixa o celular silencioso e desativa as notificações. Ainda é possível selecionar alguns contatos e permitir que suas notificações sejam transmitidas mesmo com o "não perturbe" ativo.

Dessa forma você garante que, em caso de emergência, familiares conseguirão contato fácil.

2. Monitore e limite o uso

Outra dica bacana é usar aplicativos para mapear e limitar o uso do aparelho. No Iphone, existe uma opção de fábrica que mostra quantas horas por dia/semana/mês você passa no celular. Ele ainda divide em categorias e é possível ver quanto tempo foi gasto em redes sociais ou entretenimento. Caso o seu telefone não possua essa opção, a revista Super Interessante listou 5 apps que servem para o mesmo propósito:

+ 5 aplicativos que te ajudam a diminuir o vício em celular / Super Interessante

3. Desative as notificações e  use o modo avião

Se aquele monte de números e barrinhas de notificação está gerando ansiedade, aproveite para desativá-los. Nas próprias configurações do aparelho é possível definir quais apps que podem enviar notificações na tela inicial e, ainda, quais tipos de notificação você quer ver.

Nossa dica é: mantenha apenas o essencial e evite a confusão mental. O modo avião pode ser usado em eventos ou no trabalho. Desse modo, sem interferências externas, você é quem determina quando, onde e por quanto tempo quer interagir com o aparelho.

4. Determine um horário para responder e checar e-mails

Agora uma dica essencial para quem trabalha com o celular. Determine, previamente, quanto tempo por dia você está disposta a gastar fora do horário de trabalho. Assim, é possível definir horários pré-estabelecidos para conferir e checar emails, evitando a ansiedade.

Convenhamos: o mundo não vai acabar se você demorar algumas horinhas a mais para responder aquele email, não é? Saiba definir a ordem de importância e organize os seus horários. Se possível, evite passar o seu Whatsapp pessoal para fins de trabalho, dê preferência para resolver esses assuntos por email.

5. Crie conexões reais

Por fim, é imprescindível relembrar que a vida é feita de conexões reais. Qual foi a última vez que você saiu com seus amigos e familiares e realmente aproveitou cada segundo, sem interrupção do smartphone? Quando estamos sempre conectados, acabamos deixando passar momentos felizes que não voltam mais.

É claro que muitos recursos ajudam a aproximar quem está longe. No entanto, se usados de maneira incorreta, também podem afastar aqueles que estão lado a lado.

Por isso cabe a você avaliar se o uso do celular está impactando de maneira negativa a vida. Em caso positivo, que tal começar a mudar essa realidade hoje mesmo?

Comentário Facebook